segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Contato

14 comentários:

Anônimo disse...

Cozinha de Rua, quero fazer uma na rua também!!

Anônimo disse...

Meu parecer sobre ter participado da equipe:
Tava bom o sopão, quando for fazer outro me chama!

Abraços,
Vinícius Túlio

(Direção de fotografia)

Carol disse...

Ei Igor!

É a Carol (oclinhos) que participou contigo da 9a. Mostra de Tiradentes na oficina do Bigode, lembra? Faz tanto tempo, espeo que lembre...

Cheguei aqui por esses caminhos da internê e não podia deixar de registrar meus parabéns pelo 'Cozinha de Rua'. Sensacional!! Muito pelas entrelinhas por trás de toda imagem. :)

Sucesso sempre! E tudo de muito bom!
Carol

Liana Amin Lima da Silva disse...

Igor, tô aqui encantada e apaixonada com seu trabalho! Já sabia do vídeo através de nossas conversas e reflexões... mas hj, assistindo o resultado final da sua arte (e sua equipe sensacional, incluindo os protagonistas neh!, tô aqui "babando", com água na boca por esta sopa social compartilhada e vivenciada por vcs, desse cotidiano sem preconceitos e com fome de justiça social!!! Amo vc meu primo! E a cada dia te admiro mais e sou mto orgulhosa do seu trabalho! bjao. Liana.
http://lianalimas.blogspot.com/

paula r. disse...

aê, igorsh!
tanto a idéia quanto a execução desse projeto foram fodas! você é um amiguinho que sempre me dá orgulho =)
saudade, querido. beijocas

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Igor disse...

vc me conhece, não gosto de filme de pobre,
mas esta sua irreverência surpreende, também o trato
com a imagem. É du caralho a sua aula de culinária
vegetariana e sua assistente que resume sua explicação
falando que é uma comida só com vegetais...
Acho que vc deveria limpar o som retirar sua respiração
ela está presente como se fosse uma pessoa com rinite...

no mais os gráfico supercoloridos são ótimos tb,
Em fim é uma ação midiática eficaz e sarcastica.
`
Parabéns.
Cmagno

Igor disse...

Igor,

eu fiquei aqui pensando. a gente fica quebrando a cabeça tentando fazer os filmes serem vistos. às vezes até esquecemos que o mais importante são os filmes. na maior parte das vezes ficamos submissos aos festivais. e de repente você manda essa pérola. o filme tem um frescor incrível, uma sinceridade na sua vontade de fazê-lo e na sua relação (e da equipe) com aquelas pessoas. o plano final é essencial: quando vemos vocês sentados com eles comendo a sopa. o senso de humor que o filme tem é outra coisa ótima. normalmente os vitimizam e dramatizam e acabam se esquecendo de humanizar. enfim, achei o filme foda mesmo e a maneira como você decidiu exibí-lo também. tô encaminhando pra minha lista de e-mails.

abraços.

luiz

(Pretti)

Igor disse...

Sem grua: Cozinha de Rua

(ou Geraldo e Maria Antônia)

por Rodrigo de Araújo


"Cozinha de Rua" faz muito mais do que uma referência análoga aos programas televisivos de culinária. Vivemos em um país onde a miséria é um prato cheio para os cineastas. De que forma as mazelas do povo brasileiro poderiam ser capturadas e repercutidas inversamente a favor dos mazelados?


Um dos principais problemas dos filmes brasileiros de caráter social, como todos os outros, se dá pela dificuldade de alcance de público. Além disto, as produções muitas vezes acabam não favorecendo em igual intensidade e a curto prazo, aqueles que participaram das filmagens e que de fato, necessitam de auxílio.


Igor Amin ao idealizar e dirigir o curta, não teve a preocupação de ser obrigatoriamente rigoroso em questões de linguagem, mas acabou buscando uma nova forma expositiva para os fenômenos sociais. Trata-se de um filme experimental, porém carregado de sentido, norteado pela idéia de proporcionar aos moradores de rua Geraldo e Maria Antônia, um retorno econômico direto e imediato advindo do resultado de sua obra áudio-visual, mostrando que o suporte em si pode ser, além de um instrumento de reflexão, um agente efetivo de transformação social.


Os participantes foram conscientizados a cerca de cada etapa e intencionalidade do projeto e desta maneira, intervindo de forma ética na vida dos necessitados, ofertando um almoço e sugerindo a eles uma nova lógica de distribuição fílmica como alternativa emergencial de sobrevivência, objetivou-se um debate entre o público crítico a respeito de duros aspectos sociais e não meramente intelectuais nos campos da linguagem e da estética.


"Cozinha de Rua" se coloca como uma afronta honesta às visões demagógicas, preguiçosas ou limitadoras de uma videografia de caráter essencialmente social, tão necessária ao registro, à compreensão, reflexão e quem sabe, por conseqüencia, a modificação da sociedade brasileira.

Bárbara Franklin disse...

Igor e equipe,
É a Bárbara prima do João Joel, a "menina da comunicação" segundo vc. Tenho o prazer de ver suas obras cada vez mais criativas. Parabéns mesmo, fico feliz em saber que existem pessoas que fazem jus a nossa profissão e vc é destaque com a vontade de inovar e despertar a sabedoria nas pessoas. Fico muito feliz mesmo por vc. E o menino da comunicação é vc. Continue assim..
Beijos

Dinah disse...

kkkk Achei divertido e sensacional! Um trabalho criativo, com humor e necessário.Gostei demais do Olhar corajoso do Ygor perante a realização de seu documentário. E devo acrescentar...deu fome... e vontade de fazer um "rango" com arte!! Claro, além de passar uma sensação de humanidade...Parabéns Ygor, o mundo precisa de artista como você cara! bjão

Carol do Sul do Sul disse...

Mandou bem, mineiro

Igor disse...

Cozinha de Rua 2010!

Aline Chamon Layoun disse...

Estou encantada com o seu trabalho, Igor. Não só pela qualidade da produção, mas pela sensibilidade ao comunicar. Brilhou!